Estudo da Boeing prevê demanda por novos pilotos, comissários de bordo e mecânicos de aeronaves, sup


Acima: Cmte. Gabriela Duarte e sua tripulação a bordo do B737NG @amab_mulheresaviadoras©

Mercado de Trabalho

De acordo com o mais recente estudo da Boeing, realizado durante a crise mundial trazida pelo COVID-19, a demanda por novos profissionais do setor entre os anos de 2020 e 2039, será de aproximadamente 2.086.000 profissionais para a aviação comercial e 319.000 para a aviação executiva, asa fixa e rotativa.

Conforme seu novo estudo, o Boeing Pilot and Technician Outlook 2020-2039, a Boeing conclui que a oferta excedente no mercado, de profissionais qualificados como pilotos, mecânicos de aeronaves e comissários de bordo, causada pela retração do mercado, é temporária, tendo em vista que a demanda de longo prazo por estes profissionais permanecerá robusta, conforme estudo similar da Boeing realizado em 2018, que já alertava para a crescente demanda por pilotos e profissionais da aviação para o período entre 2018 e 2037.

Mesmo levando-se em consideração o grande número de pilotos e profissionais que já foram e que serão dispensados e/ou aposentados precocemente devido à crise trazida pelo COVID-19, o estudo de 2020 da Boeing prevê que a demanda por esses profissionais, será muito superior à oferta durante os próximos 20 anos, em virtude do número previsto de profissionais formados anualmente ser notadamente inferior ao número de profissionais que atingirão a idade de aposentadoria compulsória. O estudo também analisou previsões internacionais de substituição de frota, números de demissões versus contratações e composições de tripulação.

Esta análise recente traz como base a experiência ocasionada pelas crises como os ataques terroristas ocorridos em setembro de 2001, o vírus SARS-CoV (Severe Acute Respiratory Syndrome) e a crise financeira mundial. Similarmente, conforme descreve a pesquisa, a recuperação da aviação tem sucedido às crises, por ser a aviação um setor essencial.

De acordo com o atual estudo, a demanda por estes profissionais, ao longo desses 20 anos, será de aproximadamente:

  • 763.000 novos pilotos comerciais

  • 903.000 novos comissários de bordo e

  • 739.000 novos mecânicos de aeronaves.

Sendo assim, o estudo recomenda que a indústria mundial da aviação antecipe seu planejamento, desde já, com programas que promovam a formação, o treinamento e a progressão profissional da próxima geração.

Aos interessados em uma carreira como aviador ou aviadora, a pesquisa aconselha valer-se do momento atual e da disponibilidade tecnológica, para investir em sua preparação aeronáutica e assim, posicionar-se estrategicamente para a recuperação da aviação. Afinal, a boa formação de um profissional altamente qualificado, como é o caso de um piloto de linha aérea, leva em média, um mínimo de 2 anos.

Para a leitura completa do estudo realizado pela Boeing, Boeing Pilot and Technician Outlook 2020-2039, acesse:

http://www.boeing.com/resources/boeingdotcom/market/assets/downloads/2020_PTO_PDF_Download.pdf

Texto: Aviadoras – Associação das Mulheres Aviadoras do Brasil – AMAB© 01/10/2020


8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo