O que você precisa saber sobre a carreira de comissária de bordo!

Atualizado: 27 de fev. de 2021



A carreira de comissária atrai milhares de pessoas ao redor do mundo inteiro. Não é para menos, pois a profissão tem inúmeros atrativos e, por si só já se trata de uma enorme aventura!


Ainda assim, há certas coisas que não estão claras para a maioria das pessoas que sentem interesse pela carreira.


Antes de mais nada…

Uma dúvida frequente sobre o assunto é:


“Qual a diferença entre aeromoça e comissária de bordo”?

A confusão existe porque normalmente as pessoas falam em aeromoças para as moças e comissário de bordo para os homens. Mas ambos são comissários. É apenas um hábito que as pessoas têm para diferenciar o gênero do profissional, mas estamos falando da mesma coisa. O termo aeromoça é antigo, atualmente a preferência é comissária de bordo ou tripulação de cabine.


Então… O que faz uma comissária de bordo?

As comissárias são funcionárias de empresas de aviação, elas basicamente recebem, acomodam e passam todas as informações pertinentes para os passageiros. A interação com os passageiros deve seguir durante toda a viagem, em primeiro lugar, visar a segurança do voo e dos passageiros, como também primeiros socorros, serviço de bordo e conforto dos passageiros. As comissárias também desempenham a função de auxiliar os pilotos durante o voo e em muitos casos, fazem o intermédio da comunicação entre o piloto e os passageiros. Isto é, quando um piloto precisa passar uma informação para os passageiros, ele pode fazer isso através das comissárias. A comunicação entre as duas equipes de tripulantes, a técnica (pilotos) e de cabine (comissários) é fundamental. Um precisa do outro, e saber trabalhar em equipe é essencial.


Pode parecer um trabalho simples e fácil, mas a verdade está longe disso. As comissárias são treinadas para atender os passageiros da melhor forma possível, lidar com situações estressantes e para trabalhar em dias e horários diferentes toda semana. Isso também significa perder muitas datas comemorativas e feriados. Cedo ou tarde, toda comissária vai encontrar algum cenário estressante a bordo, seja por ser a primeira vez que um passageiro está viajando de avião ou por qualquer outro motivo. É necessário conhecimento para lidar com isso da melhor forma possível.

Em muitas companhias existem também a chance de promoção, para progredir na carreira. Dependendo da empresa em que trabalhe, os comissários começam a trabalhar na classe econômica, depois passam para a classe executiva, primeira classe, até chegar e se tornar chefe de cabine. Os comissários com experiência podem também optar por se tornar instrutores.

Em geral, as companhias aéreas oferecem pacotes interessantes para atrair candidatos ao cargo de comissários de bordo. Estes pacotes variam e, além de terem seus custos cobertos pelas empresas enquanto estão efetuando seus voos – custos com acomodação e refeições – em geral, os tripulantes também recebem passagens com descontos, caso queiram viajar em seu tempo de folga e/ou durante seus períodos de férias.

Muitas comissárias e comissários apreciam as oportunidades oferecidas por este trabalho e aproveitam para conhecerem o mundo.


Quanto ganha uma comissária no Brasil?

Segundo levantamentos feitos por empresas especializadas em empregos no Brasil, uma comissária ganha entre 3.000,00 e 5.000,00 reais. Os comissários e comissárias recebem um salario básico mas ganham mesmo através das horas de voo. É importante deixar claro que esse valor pode variar de acordo com a empresa e de acordo com o número de horas voadas. O salário é um dos principais atrativos na profissão. Além é claro, do status e da oportunidade de viajar pelo Brasil e pelo mundo.


Trata-se de um mercado disputado?

Qualquer pessoa interessada em seguir a carreira de comissária de bordo deve entender que é uma profissão que conta com dinheiro, glamour e aventura, um verdadeiro prato cheio que atrai milhares de pessoas. Então, para a pergunta a respeito da competitividade na área, a resposta é um sonoro SIM! Há muita gente que quer ser comissário e comissária, mas não queremos desencorajar você, apenas passar a realidade do mercado. Como em qualquer outra área, o mais bem preparado se sobressai. Há uma série de requisitos para concorrer para uma vaga de comissária, vamos falar sobre isso a seguir.


O que é preciso para se tornar uma comissária?

Os requisitos básicos são: Ser maior de idade e ter o ensino médio completo. Fora dos requisitos básicos, vem a parte difícil. É necessário ingressar e concluir um curso de comissária de bordo e ser aprovada no exame teórico da ANAC. Também é necessário obter o Certificado Médico Aeronáutico (CMA), de 2º classe. É claro, nem tudo isso é de graça e vai levar algum tempo. A boa notícia é que esse processo já elimina parte da concorrência em potencial. É preciso realmente querer para concluir todas essas etapas.

Como é o curso de comissária de bordo?

Uma boa notícia para quem tem pressa de entrar no mercado de trabalho. O curso de comissária de bordo não chega a durar 1 ano. Na verdade, não chega a ser 1 semestre. O curso conta com aulas teóricas e práticas. O aluno vai estudar leis trabalhistas, psicologia, leis da aeronáutica, segurança, primeiros socorros e algumas outras disciplinas como etiqueta, etc..


As aulas práticas são bastante intensas. É necessário que uma comissária de bordo esteja pronta para lidar com situações extremas: acidentes, incidentes, casos de primeiros socorros e situações de vida ou morte, por exemplo, que são MUITO raras. Por isso, o curso inclui inclusive, aulas de sobrevivência na selva. Não é preciso dizer que muita gente acaba desistindo nessa etapa. Mas não se preocupe, não estamos falando de um treinamento das “forças especiais”, apenas um treinamento de sobrevivência que já é o bastante para afastar os mais sensíveis. É uma profissão muito segura. E o treinamento ensina muitas coisas que você pode usar e atribuir para sua vida, mesmo fora da profissão.


É necessário fazer alguma prova?

Sim. Só pode exercer a função quem obteve, ao menos 70% de aprovação, em cada matéria, na prova da ANAC. A prova é teórica e é necessário pagar uma taxa para fazê-la. A taxa de reprovação não é tão alta, portanto, não se assuste com o processo.


Onde é que posso encontrar uma vaga de emprego de comissária de bordo?

Hoje em dia é possível encontrar vagas de emprego na internet para qualquer companhia área. Há sites especializados em emprego que certamente vão contar com as vagas de comissária de bordo. Para quem mora em cidade pequena, é provável que você tenha que se locomover para uma capital ou cidade com mais infraestrutura, isto é, uma cidade com aeroportos, por exemplo. E mesmo assim, sendo a aviação uma indústria que está sempre em crescimento, há novas bases abrindo ao redor do Brasil constantemente.


Preciso falar outras línguas para ser uma comissária?

Falar outras línguas e, principalmente o inglês, é um grande diferencial, assim você também pode ingressar em companhias aéreas internacionais. Pois muitas companhias internacionais contratam e fazem o processo seletivo aqui mesmo no Brasil, e o melhor é que muitas dessas companhias internacionais não exigem experiência anterior, tampouco treinamento, pois elas mesmas oferecerem cursos próprios de formação de comissários.

Então, qual o próximo passo?

Bom, se você chegou aqui é porque realmente está interessada na carreira de comissária de bordo; isso é ótimo! Se você já cumpre com os requisitos básicos, como a maioridade, então é hora de procurar o curso de comissária de bordo mais adequado a você. Esse não é um curso à distância, portanto, você tem que estar disposta a se locomover. Tenha em mente que o curso é bem puxado, não é gratuito e até a prova final exige o pagamento de uma taxa. Os pagamentos não são garantias de que você irá conseguir a licença para exercer a função.

No mais, desejamos boa sorte e qualquer outra dúvida, entre em contato conosco da AMAB!

Estamos dispostas a sempre ajudar, em especial as meninas e mulheres, a ingressarem em uma carreira dentro da aviação.


COVID-19 e a profissão de comissária de bordo

O impacto da crise trazida pelo vírus no ramo da aviação tem sido grande.

Apesar disso, este é um momento muito oportuno para nos prepararmos e nos aperfeiçoarmos nas áreas em que almejamos. A demanda no Brasil tem crescido muito e quando as companhias aéreas voltarem ao normal, elas precisarão de profissionais como você, que estará pronta e à frente do mercado!


Michelle Troccoli


Trabalho em uma companhia aérea internacional no Oriente Médio, há 12 anos.

O processo seletivo foi feito em São Paulo, onde fizemos algumas dinâmicas de grupo, uma prova escrita e uma entrevista final, um a um. A entrevista foi feita toda em inglês, pois o inglês fluente é fundamental.

Quando cheguei no Oriente Médio foi, algo novo pra mim, uma experiência única, um lugar com uma cultura completamente diferente da minha, mas que eu estava muito intrigada a conhecer melhor! Com pessoas, comidas, e souks maravilhosos, que eu sempre assistia em filmes e que tinha o sonho de conhecer!

Fui recebida muito bem e a empresa em que trabalho inclusive provê acomodações. Quando cheguei, primeiramente, morei com uma colega eslovaca e uma outra da Sérvia. Pessoas brilhantes e que me ajudaram muito com o processo de adaptação!

No treinamento havia moças e rapazes de todos os países, foi onde tive a oportunidade, desde já, de interagir e aprender sobre outras culturas. O treinamento foi muito intenso, 6 semanas no total e quase 12 horas de treinamento por dia, onde aprendemos sobre segurança da aviação, treinamos situações de emergência em um simulador, treinamento em primeiro socorros e em serviço a bordo.

Tive a oportunidade de conhecer mais de 90 países – ter café da manhã em Paris e chegar a tempo para jantar em Nova York! E essa lista não pára de crescer!

Há 2 anos tive a oportunidade de ingressar em um curso de segurança na aviação civil, conhecido como AVSEC, onde somos responsáveis pela segurança de aeroporto e por passageiros que possam quebrar as regras a bordo. Também cuidamos da tripulação.

Uma das funções é estudar se o destino é seguro para que a companhia aérea opere para não comprometer seus passageiros e tripulantes, escolher uma área segura para a tripulação se hospedar e constantemente fazer auditoria de segurança no destino, para sempre priorizar a segurança e conforto dos passageiros e tripulantes.

Eu amo muito meu trabalho, onde sempre conheço pessoas diferentes de todos de raças, idades e cultura. Espero ainda fazer isso por muitos mais anos pela frente e ajudar todas as meninas que têm o sonho de ingressar em uma carreira da aviação, seja ela qual for! Vamos todas voar alto! Juntas!